APRESENTANDO A FILOSOFIA

 

 

 Uma vida que não é examinada não merece ser vivida.”

   – Sócrates

            Você deve estar acostumado a ser visto pelos adultos como um “incômodo”. E isso não deixa de ser verdade. O adolescente passa por uma verdadeira revolução em sua vida, é uma pessoa em movimento, seu corpo se transforma, suas idéias se transformam, seus sentimentos se transformam…Muitos dos que são mais velhos já estão acomodados na vida, e não desejam – na maioria das vezes – mudanças que perturbem sua situação. E é por isso que o jovem incomoda. Ele representa o novo, e essa “novidade” entra em choque com o velho que já passou por esse processo de ser o novo. O jovem é a força do movimento, reagindo contra toda acomodação e, portanto, “incomoda” os acomodados – que se esqueceram de que já passaram por isso.

            Mesmo na escola, você deve viver um pouco dessa realidade, sentindo na pele a situação. Mas talvez com a filosofia seja diferente; talvez com ela você se sinta à vontade. É porque a filosofia é uma jovem de quase 2.700 anos de idade. Desde que surgiu na Grécia, no século VI a.C., a filosofia pode ser caracterizada como uma situação de incômodo, de inconformismo. Ela apareceu porque algumas pessoas – os primeiros filósofos – estavam insatisfeitas com as explicações sobre a realidade que existiam na época.

            Elas se sentiam espantadas diante da complexidade do mundo, e queriam fugir das explicações simplistas que eram dadas. A filosofia surgiu como uma interrogação constante sobre a realidade, e um descontentamento com as respostas oferecidas. Isso fez dela uma eterna revolução, um movimento de construção do saber. Note: a filosofia não é a sabedoria, mas um movimento em sua direção, sempre uma busca. E, como nunca deixou de ser busca, a filosofia não envelheceu: continua hoje tão jovem quanto era em sua remota origem.

            Se a juventude é vista pelos acomodados como um “incômodo”, o mesmo acontece com a filosofia. No século V a. C., Sócrates, já idoso, foi condenado à morte pelo tribunal popular de Atenas. Diziam que ele não acreditava nos deuses da cidade e corrompia a juventude; mas na verdade ele incomodava demais aqueles que se sentiam confortáveis em sua situação. Ao longo de sua história, a filosofia seguiu sendo incômodo, causando desconforto nas pessoas, mas também possibilitando a emergência de novos saberes, de novas perspectivas e possibilidades.

            Não espere da filosofia, portanto, que resolva sua situação de “incômodo”. O que ela pode fazer é deixar você ainda mais incomodado. Mas o ajudará a perceber que o incômodo não é ruim, ao contrário, é o inconformismo que move o mundo, permite que cada um construa sua vida buscando seus próprios caminhos.

            A filosofia não tem uma “receita mágica” para resolver os problemas da vida de ninguém, mas pode ser um instrumento interessante para entendermos melhor as situações pelas quais passamos, possibilitando que façamos escolhas mais bem pensadas.

                          ( Texto extraído e adaptado do livro Ética e Cidadania – caminhos da filosofia. 16° edição. Sílvio Gallo )

Tags:

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: